quinta-feira, 21 de julho de 2016

II BertiRock dia 24/07 Evento Gratuito.


Será realizado na pista de skate na praia da enseada centro de Bertioga o evento em homenagem ao dia mundial do Rock, com apresentação de 12 bandas, sendo as principais Claustrofobia, Surra, Sinaya, Scumunion e Repulsão Explícita.


SCUMUNION Death Metal (Mogi das Cruzes SP)


Repulsão Explícita (Santos SP)


Sinaya (São Paulo SP)


Surra (Santos SP)


Claustrofobia (São Paulo/Bertioga SP)



Compareça fortaleça sua cena!!!

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Programa Rock Extremo na Integra, entrevista com Alex Pinho (Scumunion e Neophitus)



Programa na integrada com a entrevista com Alex Pinho no programa Rock Extremo.
Para quem não teve a oportunidade de ouvir, ou quer ouvir novamente, segue link abaixo.




Programa Rock Extremo Praia FM 106.1 ouça também pelo site www.praiafm.com.br

Alex Pinho

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Alex Pinho No programa Rock Extremo


O Vocalista das bandas Scumunion e Neophitus Alex Pinho estará participando do programa de rádio Rock Extremo comandado pelos irmãos D´Angelo da banda Claustrofobia, falando de suas bandas e projetos, inclusive o próprio S.U.Z...
O programa vai ao ar nessa segunda feira dia 27/06/2016 as 22 horas, sintonia 106.1 Rádio Praia FM de Bertioga.
O mesmo pode ser ouvido em qualquer parte do planeta através do site, www.praiafm.com.br

SCUMUNION

Neophitus

terça-feira, 5 de abril de 2016

SCUMUNION no ROCK EXTREMO.



A Banda de Death Metal de Mogi das Cruzes SP teve música executada no programa Rock Extremo, apresentado pelos irmãos D'Angelo, da banda Claustrofobia.
A dupla executou som da banda do único album gravado até o momento, ainda com o nome antigo (Coven) e teve comentário dos irmãos sobre Alex Pinho (Vocals) por ser morador da cidade de Bertioga, onde é situado o programa da rádio Praia FM 106.1 e também residência dos irmãos da banda Claustrofobia.

O programa pode ser ouvido na íntegra no link abaixo.




O Programa vai ao ar, todas as segundas feiras, a partir de 22:00 Hrs.
Ouça pelo site www.praiafm.com.br


quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

TERRORDOME Da Polônia, Andralls e + em Bertioga SP.

Férias do Rock em mais uma edição em Bertioga SP.




TERRORDOME Polônia Thrash Metal.



Terrordome ao vivo em 2014.



ANDRALLS São Paulo Brasil- Thrash Metal.



IMMINENT ATTACK Thrash Crossover São Paulo Brazil.





Ingressos antecipados a R$ 15,00
Compareça, fortaleça sua cena!!!


terça-feira, 3 de novembro de 2015

Filmes de Terror atraem maldições? Mortes e fatos estranhos nos filmes do gênero.

Os filmes de terror nos fazem sentir medo, levar sustos e ter a sensação de horror que os personagens vivem nas telas do cinema.
Mas muitos desses filmes tem acontecimentos e mortes estranhas na vida real, nos bastidores.
Vamos acompanhar algumas dessas mortes e acontecimentos macabros e no mínimo estranhos ocorridos durante as gravações, ou lógo após elas.


Um dos casos mais famosos e emblemáticos sobre o tema é o do filme Poltergeist.
A morte da pequena Heather O'Rourke.
A atriz mirim conquistou o mundo com o personagem da garotinha fofinha Carol Anne, que tinha o dom de se comunicar com fantasmas. Só que ela não teve muito tempo para aproveitar a fama. Ela morreu aos 12 anos, logo após ter filmado Poltergeist III. Heather acordou certo dia vomitando e sem conseguir comer nada. Sua mãe então percebeu que ela estava com os pés inchados e os dedos roxos. A atriz teve uma parada cardíaca no hospital e não resistiu. Descobriu-se que ela tinha uma estranha obstrução intestinal, que causou sua morte. Heather que participou de toda trilogia.


A morte de Heather chocou a mídia na época, já que a menina estava em ascensão na carreira e era considerada uma promessa. Logo que a menina morreu, os boatos da maldição nos sets de filmagens dos três filmes da série ganharam ainda mais força, já que outros acontecimentos estranhos e outra morte já tinham ocorrido.
Crime brutal
A atriz Dominique Dunne, que interpretava a filha mais velha da família do filme, foi a primeira pessoa do elenco que morreu. Aos 22 anos, pouco depois que o filme chegou aos cinemas, Dominique foi estrangulada pelo namorado, ficou em coma por alguns dias, mas não resistiu. De acordo com registros da época, o namorado da atriz era ciumento e ficou ainda mais descontrolado com o sucesso repentino dela por conta do filme de terror. Outra curiosidade macabra é que, para encobrir os gritos de Dominique, o rapaz colocou a trilha sonora de Poltergeist para tocar bem alto. Nas continuações, ela foi substituída pela atriz Meg Tilly.


Mais mortes
Além das mortes das atrizes, o ator Julian Beck, que interpretava o reverendo Henry, morreu de câncer durante as filmagens de Poltergeist II. O diretor do filme, Brian Gibson, morreu de sarcoma de Ewing, um tipo de câncer que atinge crianças e adolescentes, sendo bastante raro nos adultos com mais de 25 anos. Gibson tinha 54 quando morreu da doença. O ator Will Sampson, que interpretou um índio nativo que ajudava a família no segundo filme, morreu um ano após as gravações por complicações em um transplante de coração


Equipe em perigo
Além das mortes, a equipe técnica do filme passou por várias situações estranhas, como objetos caindo, coisas surgindo em lugares nos quais não estavam antes e barulhos que ninguém sabia de onde vinham. A atriz JoBeth Williams, que viveu a mãe da família do filme, relatou uma coisa bem estranha. Um dia ela chegou em casa e todos os quadros de sua decoração estavam tortos. Ela os arrumou e, no dia seguinte, foi trabalhar normalmente. Quando voltou, os quadros estavam novamente fora do lugar e isso se repetiu diversas vezes. A atriz contou que não tinha como outra pessoa fazer aquilo.

Sufocado de verdade
Em uma das cenas mais assustadoras do filme original, o filho do meio da família é estrangulado por um boneco de palhaço. Foi revelado depois que o filme foi lançado que, durante a cena, um acidente aconteceu e Oliver estava sufocando de verdade. A equipe quase não percebeu que aquilo era real, já que a cena era, justamente, de um sufocamento. Por pouco Oliver não morreu.

A casa amaldiçoada
Na trama de Poltergeist, a família Freeling se muda para uma nova casa, que parece ser amaldiçoada. Estranhamente, a casa na qual o filme foi gravado quase foi totalmente destruída por um terremoto anos depois das filmagens.
Como se não bastasse tudo isso, descobriu-se que a casa-cenário do filme era, como a casa da ficção, construída sobre um velho cemitério de índios.

Outros filmes do gênero também tiveram fatos e mortes estranhas.

A Profecia.


Várias histórias estranhas aconteceram durante a gravação do filme A Profecia, como o fato de os cachorros adestrados terem se virado contra seus treinadores. Mas a pior, sem dúvida, ocorreu com o técnico de efeitos especiais que criou uma das cenas pesadas do filme: uma decapitação em câmara lenta. Durante uma viagem ele e sua namorada sofreram um acidente. O técnico sobreviveu, mas a sua namorada morreu de maneira semelhante à cena do filme e com um toque macabro: ao lado de uma placa que indicava: "Próxima cidade: 66,6 Km - Ommen" (detalhe: o título original do filme é The Omen).
Além disso, o filho do ator Gregory Peck , que fez o pai do anti cristo no filme, cometeu suicídio logo após o pai aceitar o papel.
Durante as gravações, os cães que aparecem na história atacaram os seus próprios treinadores e o diretor Richard Donner quase foi assassinado. Richard estava hospedado em um hotel que sofreu um atentado do Exército Republicano Irlandês, sendo bombardeado de forma inesperada. O acontecimento contribui para reforçar a série de “maldições” que perseguem essas histórias.

O Bêbe de Rosemary.


O Bebê de Rosemary é outro clássico do terror conhecido por sua relação com “estranhas coincidências”. Além do diretor Roman Polanski ter recebido ameaças de morte por se envolver com a produção de 68, sua mulher, grávida de oito meses, foi assassinada por um psicopata. No mesmo ano, Krysztof Komeda, compositor da trilha sonora do filme, morreu com um coágulo no cérebro, como um personagem da trama que era amigo de Rosemary; e o produtor William Castle foi internado subtamente. Coincidentemente ou não, a morte da mulher de Polanski, junto com mais quatro pessoas, ficou conhecida como o caso “Helter Skelter”, letra de uma música dos Beatles. Onze anos depois, John Lennon foi assassinado no mesmo prédio em que o filme foi gravado.

Detalhe: Polanski, o diretor contratou um grupo satanista de verdade para a cena em que Mia Farrow é estuprada pelo demônio.

Tate: Assassinada pela "Família Mason"

Pisicose.



Em uma coincidência mórbida, Myra Jones, a dublê de corpo de Janet Leigh, que fez cerca de metade da cena do chuveiro, foi assassinada por esfaqueamento 28 anos depois de filmar Psicose. Foi usado o som de um fruto (melão) sendo esfaqueado para dar mais realidade à cena do chuveiro

O Exorcista.


Vai atrair mau agouro assim lá no inferno! A saga de quatro filmes de terror iniciada em 1973 com o clássico O Exorcista coleciona uma impressionante lista de tragédias e acidentes inexplicados.

O filme não só assustava por ser baseado em uma história real, como também divulgava em jornais e revistas que nove pessoas envolvidas no filme morreram de forma "estranha". Outros fatos que atingiram os sets foram: um misterioso incêndio, barulhos sinistros enquanto as cenas da menina possuída eram filmadas e o assassinato de um dos seguranças do elenco enquanto trabalhava. Além disso, o diretor do filme costumava levar uma arma e atirar durante as gravações para assustar de verdade os atores. No filme de estréia da saga, o ator Jack MacGowran é o primeiro a morrer na história, despencando de uma tenebrosa escadaria. Uma semana após terminar de gravar MacGowran morreu mesmo. Dizem que vítima de pneumonia.

Jack, O primeiro a morrer no filme e na vida real.

Azar contagiante
Muitas "tragédias" ocorreram com o "amigo do amigo do amigo". O ator Max von Sydow, o padre Merrin, mal começou a gravar quando soube que seu irmão havia morrrido. A esposa grávida de um assistente de câmera perdeu o bebê. E por aí vai...
Equipe dos diabos
A equipe técnica sofreu horrores durante a produção. O homem que refrigerava o quarto onde aconteceu as cenas de possessão morreu de maneira inexplicável. Um vigia noturno que cuidava dos cenários foi morto a tiros durante uma madrugada. Um carpinteiro cortou o polegar fora. Outro serrou o dedão do pé. Imprudência no trabalho? Não, culpa do diabo!
Puxada infernal
A atriz Ellen Burstyn, que fazia a mãe da garotinha endiabrada, sofreu uma grave lesão na cena em que é atirada para longe pela filha. A culpa é tanto do demônio quanto do diretor Willian Friedkin, que instruiu o técnico responsável por puxá-la com a corda e "dar tudo de si".
Dublagem maldita
A atriz Mercedes McCambrige ingeriu ovos crus, fumou igual uma chaminé e fez o diabo pra ficar com a voz rouca e demoníaca da menina possuída. Mas os produtores "esqueceram" de colocar o nome dela nos letreiros do filme. A atriz processou o estúdio - só para saberem que não se brinca com o demo!
Vingança musical
O argentino Lalo Schifrin compôs uma trilha sinistra para O Exorcista, mas o diretor Friedkin achou o trabalho muito... chinfrim. Preferiu então usar o tema de piano já pronto ("Tubular Bells"). Schifrin vendeu a trilha rejeitada para o filme A Casa do horror (1979). Resultado: recebeu indicações ao Oscar e ao Globo de Ouro, coisa rara para um filme de terror!
O Exorcista II: O Herege (1977)
Antes nunca do que tarde
John Boorman foi a primeira escolha para dirigir O Exorcista, mas recusou a oferta. Anos depois, assumiu as rédias de O Exorcista II - o Herege. Durante as filmagens, contraiu uma infecção respiratória e passou mais de um mês de cama. Quando tentou pular fora da roubada, foi ameaçado de processo judicial pelo estúdio e concluiu o filme contrariado.
Papel de peso
A menininha meiga do primeiro filme virou uma mocinha rechonchuda em O Exorcista II. Se alguém desconfiava que a jovem atriz Linda Blair era talentosa, ela fez questão de pulverizar essas suspeitas. O filme marca o início de sua decadência rumo ao ostracismo e a um corpo em forma... de pêra!
Xô, imitações
Se você acha O Exorcista II ruim (e ninguém aqui afirma o contrário!), precisa ver as imitações bisonhas que surgiram em toda parte do mundo. Aliás, precisa não. É melhor evitar. Coisas como Abby (a versão "black power" de O Exorcista), Seytan (a imitação cena a cena feita na Turquia) e Jadu Tona (produção hindu com muito canto e dança). Devem irritar até o próprio capeta!
O Exorcista III (1990)
Sem pé nem cabeça
O Exorcista III não é uma sequência dos anteriores. Ou melhor, não era para ser. O filme se baseia no livro O Espírito do Mal, de William Peter Blatty, autor do primeiro O Exorcista, que aqui também brinca de diretor. Foi ideia dos produtores trocar o título e inserir referências ao clássico de 1973. O enredo se inspirou num serial killer verdadeiro, confundindo ainda mais as coisas.
O Exorcista: O Início (2004)
Convite macabro
John Frankenheimer (Operação França II, Ronin) era um direitor respeitado em Hollywood. Isso até esnobar o convite para dirigir Exorcista: o Início. Respondeu um sonoro "não" aos executivos do estúdio e acabou fulminado por um derrame apenas um mês depois.
Fim de carreira
A carreia de Paul Schrader ia mal quando ele teve a boa chance de dirigir Exorcista: o Início. Mas sua abordagem mais psicológica não fez a cabeça dos produtores. Ele foi demitido e deu lugar a Renny Harlin, que, precavido, já disse acreditar na maldição da saga.
Marcha fúnebre
Michael Kamen (Máquina Mortífera, X-Men) foi o primeiro compositor cogitado para cuidar da trilha sonora do novo filme, antes de Christopher Yung assumir o posto. Kamen sofreu um ataque cardíaco fulminante em 2003. O músico, porém, já flertava com o perigo: em 1999, gravou com a banda Metallica, aquela que estourou nas paradas de sucesso após vender a alma ao diabo.


Fonte: R7, Mundo Estranho, Agência Caos e Youtube.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

CHAOSLACE Brutal Death Metal. Interview - Entrevista.



CHAOSLACE BRUTAL DEATH METAL.

Banda oriunda de São Bernardo do Campo SP no ano de 2004 com intuíto de espalhar aos 4 cantos um som extremo e de qualidade, a banda vem se destacando em shows e com seus trabalhos de estúdio, para os leitores conhecerem um pouco melhor da trajetória da banda, tivemos uma conversa com o baterista Diogo Rodrigues, segue abaixo os melhores trechos do papo com ele.


1º S.U.Z - Fale- nos de forma breve sobre a trajetória da banda, como foi formada e com que intuíto?

Diogo: Boa tarde. A banda começou em 2004, já com a idéia de fazer um metal mais extremo. O intuito era se divertir e tocar. Sem querer se aparecer, apenas tocar, e aos poucos fomos entrando na cena.

2º S.U.Z - A banda já tem uns anos de estrada, diga-nos sobre os materiais gravados e lançados da ChaosLace.

Diogo: Pois é, estamos próximos de completar 12 anos de banda, sempre em atividade. Nesse tempo lançamos 4 matérias que são:
Abusive Use of Collective Hate (2005)
Anti Religious Victory (2006)
Hatestorm (Single) (2007)
Curses Behind The Diabolic Shadows (2010)
Depois teve alguns relançamentos e coletâneas, e também está sendo preparado um material novo.

3º S.U.Z - A banda já teve shows internacionais, como Argentina e Paraguai e mais recente México, mas primeiramente, nos fale sobre a Argentina e o Paraguai.

Diogo: Antes desses tivemos uma apresentação na Bolívia, e foram ótimos shows, sempre brutais

4º S.U.Z - Como se deu o convite para tocar no exterior?

Diogo: Somos uma banda bem ativa e tocamos com muita frequência todo ano, e sempre estamos prestigiando eventos de outras bandas undergrounds e com isso vamos conhecendo pessoas, fazendo os contatos e divulgando. Não é fácil. Se ficar parado dentro de casa a coisa não anda.

5º S.U.Z - Especificamente a turne no México, nos conte, como se deu a viagem, e o convite para a mesma?

Diogo: Nosso ex baixista nos indicou para os mexicanos, e gostaram do nosso som e de nossa trajetória. Dessa forma conseguimos. Sempre de forma honesta e com muito trabalho dentro do underground.


6º S.U.Z - Vocês fizeram a turne mexicana, com uma banda local, fale-nos dessa experiência.

Diogo: Sim, fizemos a tour com a banda Heretic, eles abriram nossos shows. A tour foi foda, ótimos shows e todos lotados.

7º S.U.Z - Quantas cidades e qual o número de shows a banda fez no México?

Diogo: Fizemos 6 shows por vários estados e cidades como Tepatitlán, Tepic, Hermosillo, Guadalajara, Morelia, e teve alguns shows que foram cancelados pela polícia.



8º S.U.Z - A banda trouxe para o Brasil para turne a banda Mexicana que dividiram palco na turne no país da américa do norte, como foi essa mini turne no brasil?

Diogo: Foi uma tour bem brutal e divertida, passamos por várias cidades do interior, Minas Gerais e litoral. Foi bem cansativa mas valeu toda correria.

9º S.U.Z - Fale nos dos próximos shows da banda, agenda.

Diogo: A agenda está cheia e até o momento está assim:
18/10 Votorantim
07/10 São Paulo
08/10 Mauá
14/10 Cambui MG
21/10 Itapetininga SP
19/10 Indaiatuba SP
Outras datas então para confirmar.

Na foto Diogo, membros da Scumunion (Brazilian Death Metal) com amigos e fãs.

10º S.U.Z- 10 - A banda tem alguma tour pro exterior para breve?

Diogo: No momento não temos nada em mente, mas em breve estaremos armando algo. Mas o shows pelo Brasil, não param.

11º S.U.Z - Deixe nos suas considerações finais.

Diogo: Obrigado pelo espaço para poder falar um pouco da banda. E para quem se interessar, comparecer aos eventos de bandas undergrounds

Contatos: https://www.facebook.com/CHAOSLACE











domingo, 11 de outubro de 2015

O Homem realmente foi a lua? Fatos que comprovam a FARSA!

Você acredita que o homem tenha realmente ido a lua?
Nos dias de hoje uma transmissão ao vivo pela TV, de uma cidade a outra, por diversos motivos o link cai, a imagem tremula e vivemos no auge da tecnologia, por que em plena década de 60 um link ao vivo supostamente da lua, teve imagens e som perfeito, sem interferências e queda de sinal?
Na década de '60 não havia fotografia digital e segundo técnicos e engenheiros da Kodak e Fuji (duas das maiores fabricantes de filmes fotográficos do mundo), não existe conjunto celulóide (filme) capaz de suportar variações de temperatura no vácuo, de - 270º a 140º graus C, que ocorreriam na lua, ou seja: seria impossível tirar fotos num lugar desses.
Perguntas como essas vamos analisar e mostrar indícios de fraudes.



Após conhecer os diversos indícios de fraude coletados por diversos pesquisadores ao longo de 4 décadas, o sentimento que você poderá ter será o de ter feito papel de palhaço, de ter sido feito de trouxa juntamente com o restante da humanidade, que acredita em tudo que aparece na televisão sem contestar o que está sendo mostrado e o que é dito.

De acordo com a versão oficial, em horário mundial UTC, às 13 horas e 32 minutos de 16 de julho de 1969, os astronautas Neil Armstrong, Edwin 'Buzz' Aldrin e Michael Collins partiram na ponta do foguete Saturno V, de Cabo Canaveral na Flórida, Estados Unidos, tripulando a nave Apollo 11 composta pelo Módulo de Comando Columbia e pelo Módulo Lunar Eagle na presença de centenas de milhares de pessoas que, pelas estradas e campos ao redor do Centro Espacial Kennedy, assistiam ao lançamento do foguete.

A Missão Apollo 11 foi a quinta missão tripulada do Programa Apollo da NASA e teria sido a primeira a pousar na Lua. Após quatro dias de expedição, sob o olhar de milhões de telespectadores em todo o mundo, o Módulo Lunar teria tocado a superfície lunar e Neil Armstrong teria sido o primeiro homem a pisar na Lua em 20 de julho de 1969 dizendo a célebre frase "Este é um pequeno passo para um homem, mas um grande salto para a humanidade".

Armstrong e 'Buzz' Aldrin, que desceu em seguida, teriam caminhado no nosso satélite natural por duas horas antes de retornarem com segurança à Terra em mais quatro dias de viagem cumprindo a promessa do então presidente dos Estados Unidos, John Kennedy, que em 1962, disse que os Estados Unidos mandariam uma missão tripulada com segurança à Lua antes do final da década. Esta estória é muito bonita, repleta de heroísmo e superação. Mas, a verdade pode estar bem longe do que realmente aconteceu nessa missão em julho de 1969

1 – A brisa na bandeira americana

Os teóricos da conspiração têm apontado que quando o primeiro pouso na Lua foi mostrado ao vivo na televisão, os telespectadores puderam ver claramente a bandeira americana sacudindo como que se existisse vento por lá, logo após Neil Armstrong e Buzz Aldrin terem a cravado no chão. Fotos do desembarque (imagem acima) também mostram a bandeira ondulada, como se estivesse sobre efeito de uma brisa. O problema é que não há ar na atmosfera da lua, e, portanto, qual vento teria causado os efeitos na bandeira?
Resposta da NASA: Esse fenômeno é algo comum. Eles afirmam que a bandeira foi guardada em um tubo fino e o efeito ondulado foi causado por ela ter sido desenrolada antes de ser fixada. Outra explicação, desta vez sobre a agitação da bandeira no vídeo, afirma que as ondulações foram causadas pela força da reação dos astronautas tocando e sacudindo a haste de alumínio dela.

2 – Ausência da marca do impacto na superfície

Será que a Apollo realmente pousou na lua? Se sim, deveria existir uma cratera causada pelo impacto da aeronave debaixo do módulo lunar. Nas filmagens ou fotografias dos desembarques não encontramos nenhuma cratera, é quase como se o módulo tivesse sido colocado lá. A superfície da lua está coberta por uma poeira fina lunar, mas nas fotografias esta fina camada não parece ter sido deslocada.
Resposta da NASA: A NASA afirma que o impacto do módulo nas condições de baixa gravidade da Lua é muito menor quando comparado com o pouso aqui na Terra. A superfície da lua em si é bastante sólida, portanto, uma cratera de impacto provavelmente não seria viável, assim como um avião não deixa uma marca de impacto quando toca o chão de uma pista de concreto.

3 – Múltiplas fontes de iluminação

Na lua há apenas uma fonte de luz: o Sol. Portanto, é justo sugerir que todas as sombras deveriam estar no mesmo ângulo. Mas isto não aconteceu no pouso da NASA. Vídeos e fotografias mostram claramente que as sombras têm diferentes ângulos (imagem acima). Os teóricos da conspiração sugerem que isso deve significar múltiplas fontes de luz, o que sugere que as fotos foram tiradas em um set de filmagem.
Resposta da NASA: A NASA tentou culpar a paisagem irregular da Lua, afirmando que as inclinações e colinas sutis da superfície foram as responsáveis pelas discrepâncias. Esta explicação acabou se tornando motivo de piada para os teóricos. Como colinas poderiam causar diferenças angulares tão grandes? Na imagem acima por exemplo, a sombra no módulo lunar contradiz claramente o que afirmaram, as rochas do primeiro plano estão em um ângulo de quase 45 graus em relação à sombra do astronauta.

4 – O misterioso reflexo no capacete

Depois das fotografias dos pousos na lua, os teóricos rapidamente perceberam um objeto misterioso (imagem acima) no reflexo do capacete de um astronauta da missão Apollo. O objeto parece estar pendurado por uma corda ou fio e não tem razão para estar lá, levando alguns a sugerir que ele seria na verdade um holofote, normalmente encontrado em estúdios de cinema. A semelhança é questionável, dada a má qualidade da fotografia, mas o mistério permanece, pois não há razão pela qual algo estaria flutuando ali na lua.
Resposta da NASA: Não há. O módulo lunar em outras fotos parece não ter extensão na parte superior que corresponderia ao objeto do reflexo da foto, de modo que a origem do objeto ainda permanece totalmente inexplicável.

5 – O cinturão de radiação Van Allen

Para alcançar a Lua, os astronautas tiveram que passar por aquilo que é conhecido como o cinturão de radiação de Van Allen. O cinto é mantido no lugar pelo campo magnético da Terra e permanece sempre no mesmo lugar. As missões da Apollo à Lua marcaram as primeiras tentativas dos seres humanos vivos em atravessar o cinturão. Os teóricos da conspiração afirmam que os níveis absolutos de radiação teriam cozinhado os astronautas em rota para a lua, apesar das camadas de revestimento de alumínio no interior e exterior do nave.
Resposta da NASA: A NASA têm combatido este argumento, enfatizando que o curto período de tempo que os astronautas levaram para atravessar o cinto foram doses muito pequenas, e portanto insignificantes, de radiação.

6 – O vídeo teve sua velocidade alterada, e os astronautas usaram cabos para pular

A fim de apoiar alegações de que os pousos na lua foram filmadas em um estúdio, os teóricos da conspiração levaram em consideração as condições de baixa gravidade que eles simularam. Eles sugerem que, se você pegar a filmagem do pouso na Lua e aumentar sua velocidade em 2,5 vezes, os astronautas parecem estar se movendo como se estivessem sob influência da gravidade da Terra. Isto sugere que o vídeo na verdade foi alterado para causar a impressão da baixa gravidade. Quanto à impressionante altura do salto do astronauta, algo impossível de se realizar na gravidade da Terra, cabos e fios ocultos podem ter dado aos astronautas a altura extra. Em algumas cenas do vídeo é possível ver esboços de supostos cabos escondidos, como na imagem acima por exemplo, que supostamente mostra um fio, embora esta prova seja extremamente vaga.

Resposta da NASA: Não há.

7 – Cadê as estrelas?

Um dos argumentos mais convincentes que provam que o pouso na Lua foi uma farsa é a falta de estrelas em qualquer uma das provas fotográficas ou vídeo registrados. Não há nuvens sobre a lua, as estrelas então deveriam ser tão perpetuamente visíveis e significativamente mais brilhantes do que quando vemos aqui na Terra.
Resposta da NASA: A NASA culpa a má qualidade das fotografias. Algumas fotografias são de alta qualidade, no entanto, e é possível ver estrelas nestas fotografias. É algo realmente estranho, considerando o fato que até mesmo nós daqui da Terra, podemos tirar fotos de estrelas com qualidade inferior e ainda assim podemos vê-las.

8 – A misteriosa pedra “C”

Uma das mais famosas fotos dos pousos na Lua mostra uma rocha em primeiro plano com o que parece ser a letra “C” gravado nela. A letra parece ser quase perfeitamente simétrica, o que significa que é improvável que seja uma ocorrência natural. Tem sido sugerido que a pedra foi usada apenas para o cenário, e a letra “C” seria apenas uma marcação dos objetos de um set de filmagem. A cenógrafo poderia ter virado a rocha de forma errada, expondo acidentalmente a marcação.
Resposta da NASA: A NASA deu desculpas conflitantes para a letra, por um lado culpando o fotógrafo de ter adicionado a letra como uma brincadeira, enquanto que, por outro lado, dizendo que a tal letra pode ter sido simplesmente confundida com um fio de cabelo (ou seria um pentelho?) que ficou enroscado nela durante a ocasião da fotografia.

9 – O mistério das marcações nas fotografias

As câmeras usadas pelos astronautas durante os pousos na lua tinham marcações (miras) que ajudavam os astronautas com a escala e direção das imagens. É possível vê-las na frente dos objetos em quase todas as fotografias, o que é normal. Algumas das imagens, porém, mostram claramente a cruz da mira “atrás” de objetos na cena, o que implica que as fotografias podem ter sido editadas ou adulterada após a captação. A fotografia mostrada acima, por exemplo, não é uma ocorrência isolada. Há muitas outras imagens que mostram os objetos na frente da marcação (mira) das fotos, incluindo uma fotografia da bandeira americana e outra do rover lunar usado por eles.
Resposta da NASA: Não há.

10 – Dois locais diferentes, a mesma paisagem

Nas duas fotos da missão Apollo (mais acima) é possível observar claramente paisagens idênticas, apesar de serem oficialmente listadas pela NASA como tendo sido fotografadas a milhas de distância uma da outra. Uma das fotos mostra o módulo lunar, mas quando as fotografias foram capturadas, do módulo já havia saído de lá, assim como ele poderia estar lá em uma foto e desaparecer em outra? Bem, se você também é um teórico ‘hardcore’ da conspiração da missão Apollo na Lua, também vai achar que a NASA simplesmente usou o mesmo cenário de fundo ao filmar cenas diferentes de sua Lua cinematográfica.
A NASA tem sugerido que já a lua é muito menor do que a terra, os horizontes podem parecer aos olhos humanos serem significativamente mais próximos, quando que na verdade não são. Apesar disso, com base nas evidências dos teóricos, dizer que os dois montes visíveis nas fotografias estão a milhas de distância torna esta dúvida realmente plausível.

Por quê teria ocorrido a fraude?

Os Estados Unidos teriam tramado esta farsa porque a União Soviética estava à frente dos Estados Unidos na corrida espacial, tendo enviado, em 12 de Abril de 1961, Yuri Gagarin à órbita terrestre a bordo da nave Vostok I. A foto da Terra vista do espaço e a frase "A Terra é azul" deram grande impulsão à União Soviética. Os Estados Unidos, no auge da Guerra Fria, vendo que estavam ficando para trás, teriam resolvido dar um golpe para atrair toda a atenção do mundo para eles. Principalmente porque, um ano antes da suposta ida do homem à Lua, Stanley Kubrick lançou o filme 2001 – Uma Odisséia no Espaço, com efeitos especiais nunca vistos antes na história do cinema, que renderam um Oscar ao brilhante Kubrick! E esses efeitos especiais poderiam muito bem ser utilizados pelos Estados Unidos para forjar uma viagem do homem à Lua.


Existe uma suposta foto de Stanley Kubrick, na NASA, meio escondido, agachado atrás do astronauta Neil Armstrong, antes da suposta viagem do homem à Lua. Na mesma foto, há um telão com fundo escuro muito semelhante aos fundos usados em Chroma Key, que é uma técnica cinematográfica que permite substituir um fundo com uma cor padrão por outra imagem qualquer. Esta foto teria sido tirada dentro da própria NASA. Mas, para quê a NASA usaria um telão com um fundo especial como esse?

O que toda essa mentira traria de resultados positivos aos Estados Unidos? Veja bem: após a concretização da farsa, os grandes investidores internacionais iriam querer investir o seu dinheiro no país mais evoluído tecnologicamente do mundo. E foi exatamente isso que aconteceu. Após o feito que perdura até hoje como verdade para a maioria da população mundial, os Estados Unidos viraram a mega potência que é nos dias atuais. Viraram os donos do mundo, se dando ao luxo de poderem atacar países do outro lado do planeta "por precaução", para se prevenirem de um ataque com armas químicas que só existem nos relatórios forjados pelos Estados Unidos (George W. Bush) e Inglaterra (Tony Blair). Mas, isso já é outra história, como também um monte de outras histórias falsas que foram inventadas pelos Estados Unidos para satisfazerem aos seus interesses. Tais histórias receberão a minha atenção em outra oportunidade.

A NASA está recebendo tantas críticas e indagações referentes à ida do homem à Lua que resolveu contratar, no final do ano de 2002, James Oberg, um renomado escritor aeroespacial, para tentar justificar à população mundial de que tudo teria sido realmente verdade. A BBC News publicou uma matéria a respeito, que pode ser lida no endereço http://news.bbc.co.uk/1/hi/sci/tech/2410431.stm. Até outubro de 2003, posso garantir que Oberg não lançou livro algum com este propósito. Você mesmo pode procurar isso no endereço http://www.jamesoberg.com/books.html. Dizem que ele desistiu da empreitada.

O escândalo da fraude da viagem do homem à Lua veio à tona em 2001, quando a Fox Television fez um programa mostrando diversos indícios de fraude. O programa foi ao ar com o nome "FOX Special - Conspiracy Theory: DID WE LAND ON THE MOON?" (Especial FOX - Teoria da Conspiração: NÓS POUSAMOS NA LUA?). E foi a partir disso que comecei a pesquisar a respeito e a analisar mais de 2.500 fotos da NASA, uma por uma, detalhe por detalhe; e acabei encontrando mais indícios da fraude além dos citados pela Fox Television.

Segundo a NASA, as câmeras utilizadas para tirar as fotografias foram de modelo Hasselblad 500EL munidas de filme Kodak especial (vide www.hq.nasa.gov/alsj/a11/a11-hass.html) e de um revestimento de prata que foi colocado nas câmeras para deixá-las mais resistentes às variações térmicas, mas creio eu que não o suficiente para suportar as extremas variações de temperatura da Lua. A temperatura na Lua varia tanto, que seria impossível trazer de lá uma única fotografia para ser exibida na Terra. Só para se ter idéia, a temperatura na Lua varia de -153ºC à noite a +107ºC durante o dia, conforme dados obtidos na NASA no endereço http://solarsystem.nasa.gov/features/planets/moon/moon.html. Como é que hoje, quatro décadas após este grande sucesso estadunidense, ainda não existe um único filme de máquina fotográfica capaz de suportar sequer a pequenas variações de temperatura? Ou será que eles já possuíam câmeras fotográficas digitais que gravam as fotos em chips? Será que a IBM, que patrocinou o filme de Stanley Kubrick, também patrocinou a suposta ida do homem à Lua criando máquinas fotográficas digitais e mantendo esta tecnologia sob sigilo por décadas? Por falar nisso, você sabia que o nome do computador HAL do filme 2001 – Uma Odisséia no Espaço é uma alusão ao nome IBM? Note que cada letra posterior às letras que compõe o nome HAL forma o nome da fabricante IBM.


Mas, segundo a própria NASA e conforme pode ser comprovado acessando os links acima, não foram utilizadas câmeras fotográficas digitais para tirar as fotos da suposta ida do homem à Lua. Foram utilizadas câmeras fotográficas convencionais com filmes Kodak.

Kodak. Informamos que um filme já exposto e ainda não processado não deve ser submetido a altas e/ou baixas temperaturas. O ideal é mantê-lo em local fresco e arejado com temperatura ambiente. Não dispomos de filmes especiais que suportem variações de temperatura.
Atenciosamente,
Centro de Informações ao Consumidor
Kodak Brasileira Com. Ind. Ltda
0800 15 0000
www.kodak.com.br

Conflitantes as informações, não é mesmo? A NASA afirma com todas as letras que utilizou, durante a Missão Apollo 11, um filme especial da Kodak para bater as fotos. Mas, a própria Kodak afirma também com todas as letras que tal filme não existe!

Por que não foram divulgadas as imagens originais, prometidas pela NASA?

Porém, pairou uma dúvida no ar. E a câmera que estaria na Lua gravando todas as imagens em alta qualidade em fitas de vídeo? Ao voltar da Lua, os astronautas teriam trazido de volta gravações bem diferentes daquelas apresentadas a toda a população mundial. Porém, porque essas filmagens em alta resolução nunca foram mostradas até hoje?

A NASA afirmava estar preparando a exibição dessas imagens no aniversário dos 40 anos da ida do homem à Lua. Seriam imagens inéditas, com uma alta qualidade de vídeo! Porém, em agosto de 2006, a NASA vem a público informando que tinha perdido as fitas que continham as gravações originais da Missão Apollo 11.

Segundo a NASA, as fitas teriam sido enviadas ao Arquivo Nacional dos Estados Unidos antes de serem devolvidas à própria NASA, que teria as guardado no seu Centro Espacial Goddard, em Maryland. Mas, devido ao fato dos funcionários que trabalhavam nos arquivos da NASA terem mudado de emprego, se aposentado e até morrido, ninguém mais sabia onde essas fitas tinham ido parar.

Tudo isso foi amplamente divulgado pela mídia como nesta matéria publicada pela BBC Brasil: www.bbc.co.uk/portuguese/ciencia/story/2006/08/060815_filmeluaaw.shtml que você poderá acessar para confirmar.


A Promessa de George W. Bush

Em janeiro de 2004, o então presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, declarou, na Agência Espacial Americana, que a NASA levará o homem novamente à Lua até 2015 e a Marte até o ano de 2020. Para isso, o governo estadunidense estaria liberando alguns bilhões de dólares em verbas para a NASA.

A intenção de Bush era enviar o homem novamente à Lua até 2015 e criar uma base lunar para lançar uma nave tripulada a Marte até 2020.

Esta promessa de Bush foi amplamente divulgada na mídia. Acessando o seguinte link, por exemplo, podemos ler uma matéria a respeito publicada, na época, pelo Portal Terra: www.ar.terra.com/tecnologia/interna/0,,OI253771-EI304,00.html.

A primeira pergunta que nos vem à mente lendo uma notícia desse tipo é: “Pra quê mandar o homem à Lua para, somente a partir de lá, lançá-lo novamente para ir em direção a Marte? Mesmo que levemos em consideração que a gravidade na Lua é um sexto da gravidade da Terra é que lá não há atmosfera, o que facilitaria bastante o lançamento de uma espaçonave, no meu entendimento, todo esse processo consumiria mais combustível do que o de uma nave que fosse lançada da Terra diretamente ao planeta vermelho.

Mas, também é muito fácil e cômodo para um presidente prometer algo que não será ele mesmo quem terá que cumprir no futuro. E, pelo que estamos vendo, ele não terá a mesma sorte que teve o presidente John Kennedy que, em 1962, fez a promessa que os Estados Unidos mandariam uma missão tripulada com segurança à Lua antes do final da década, sendo tal promessa “cumprida” por Richard Nixon. De acordo com notícia veiculada pela Folha Online, a NASA já prorrogou o prazo da ida do homem à Lua para 2020 (vide http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u353651.shtml) e já está afirmando, novamente, que tal prazo precisará ser prorrogado mais uma vez como consta nesta matéria veiculada pelo Portal Terra: http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI3874380-EI238,00.html

Módulo Lunar da Missão Apollo 11. Você crê que isso voa?
Você crê que aí dentro há combustível suficiente para alimentar um propulsor capaz de colocar este módulo em órbita?


Baixo um vídeo que mostra o Kubrick filmando fake moom footage, no filme 2001 Uma odisséia no espaço.




É incrível como, entre 1969 e 1972, a NASA programava uma nova missão à Lua de seis em seis meses. Mas, 35 anos depois, são necessários 10 anos para mandar uma nova missão tripulada à Lua, prazo este que já está passando para, pelo menos 15 anos. Antes, demorava seis meses para mandar o homem à Lua e, agora, com toda a tecnologia disponível, vai demorar 15 anos? 30 vezes mais tempo? Será que a tecnologia aeroespacial regrediu da década de 1960 pra cá? Ou será que a tecnologia tenha aumentado tanto que, para utilizar toda a tecnologia existente atualmente, demora-se mais tempo para programar uma viagem desse porte?
E a viagem a Marte que foi prometida para 2020? Bem... se a viagem à Lua, que era para ocorrer até 2015 já foi adiada pra 2020 e nem se sabe se a NASA conseguirá mesmo cumprir o cronograma, a viagem a Marte não ocorreria antes de 2030. E, de acordo com o portal de notícias G1 da Globo (vide http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL209034-5603,00.html), a Rússia está programando para 2020 sua primeira viagem tripulada ao planeta vermelho. De acordo com notícia veiculada no Portal UOL (vide http://cienciahoje.uol.com.br/95718), a agência espacial européia pretende lançar uma missão tripulada a Marte até 2030. E até a China já está entrando nessa corrida (vide http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL43878-5603,00.html). A Índia também está no páreo para realizar viagens tripuladas à Lua e a Marte segundo a seguinte publicação: http://movv.org/2009/02/08/a-india-vai-colocar-um-astronauta-na-lua-em-2020-e-planeia-ja-uma-missao-a-marte. Então, pelo jeito, os Estados Unidos precisarão correr se não quiserem ficar pra trás!

Enfim, estes foram alguns indícios que pra mim, no mínimo deixa em dúvida se realmente o homem foi a lua.
Continuo no aguardo de que a verdade um dia seja revelada, fomos a lua? não fomos? eis a questão.

FONTE: A Fraude do Século, UFOSONLINE, Segredos do Mundo.






sexta-feira, 9 de outubro de 2015

SCUMUNION - Nota de cancelamento de show em Riberão Pires SP.


SCUMUNION - emite nota de cancelamento no evento Garage Fest.

COMUNICADO IMPORTANTE: Devido a problemas pessoais, relacionados a saúde, de familiar de um dos integrantes da Scumunion, a banda foi forçada a cancelar a apresentação do dia 10 em Riberão Pires, pedimos a compreensão de todos, e em breve estaremos novamente voltando aos palcos, com novas músicas, energia renovada e sede de agracia-los com grandiosas apresentações, compareçam e apoiem as bandas irmãs que estarão se apresentando no evento, agradecemos desde já a todos!!!
Essas foram as palavras em comunicado oficial da banda.
Lembrando que o evento ocorrerá neste sábado dia 10 normalmente, as demais bandas estão confirmadas.


Imagem da página oficial da banda no Facebook:





Página oficial da banda no Facebook:

https://www.facebook.com/Scumunion-Death-Metal-194783703590/timeline/

Tiwtter Oficial da banda:

@SCUMUNION


segunda-feira, 28 de setembro de 2015

GARAGE FEST com as bandas: CHAOSLACE SCUMUNION EMPIRE OF SOULS VIOLENT DISORDER e CRANIAL CRUSHER

SCUMUNION show com as bandas, ChaosLace, Empire of Souls, Cranial Crusher e Violent Disorder.
Riberão Pires SP dia 10 de Outubro.


Grande apresentação de bandas conceituadas e promessas da cena underground paulista.



Música Into to the Grave do disco Incognitus.

Confira abaixo vídeos de apresentações das bandas ao vivo.



SCUMUNION música Mortuary Shroud



Empire of Souls música To Become Maker


ChaosLace Música Rotting ty the Cross


Cranial Crusher Música Distopia


Volent Disorder Música Manipulation Onis

Compareçam!