segunda-feira, 16 de outubro de 2017

A moda das Web Strippers




Quem diria que a tecnologia seria grande aliada na hora do sexo? Sim, um mercado crescente de buscadores por sexo virtual cresce no país. E não é só por aqui. Dados apontam até a queda da venda de preservativos no Japão por conta.

mulheres se colocam à disposição na internet para exibir seus corpos com danças sensuais e realizar as fantasias de quem compra os seus serviços, transformando a profissão de stripper virtual em um negócio que, segundo elas, é bastante rentável.

Em geral, os shows das meninas duram de 10 a 30 minutos, dependendo do pacote comprado. A variedade de opções e valores também é determinada pelas moças ou pelo site que as agencia. Todos trazem regras claras.

Uma das vantagens que leva muitas garotas a ingressar no mundo do strip virtual é que todas podem trabalhar no conforto de suas casas (a maioria delas faz isso direto do próprio quarto, mesmo algumas agenciadas).

Ex-vendedora de artesanato, ‘Bruna Sexy’ mergulhou de cabeça no mundo das strippers virtuais após se ver endividada e sem um tostão para custear o tratamento do pai. “Depois de cuidar do meu pai, vi que precisava ganhar dinheiro. Sempre gostei de sites de relacionamentos, de sexo e de me exibir na web, me insinuando, brincando. Então pensei por que não começar a cobrar por algo que eu gostava de fazer de graça?”, escreveu. "Quando comecei a cobrar, descobri que os homens adoram meu bumbum. É a primeira coisa que pedem para ver."

Quem quiser ver mais da loira, de 1,60 metro e 50 kg, mantidos a custo de muita malhação, pode acessar o site e o blog que ela criou para administrar seu serviço, agendar e divulgar seus shows em sites de sexo ou pelo Orkut. Morando em Moema, um dos bairros nobres da capital paulista, ‘Bruna Sexy’ informa que tem uma vida confortável agora.

Indagada até quando pretende continuar a trabalhar como stripper virtual, ela respondeu: “Até ficar velhinhaaaa. Tem clientes para todas as idades".

Como ‘Bruna Sexy’, ela relata que alcança uma renda mensal de até R$ 5 mil, sem sair de casa ou manter relações sexuais, apenas com a comercialização dos vídeos e artigos com sua marca. “Também vendo as calcinhas que uso nas apresentações. Elas vão com o meu cheirinho”, contou ela, que trabalha das 8h às 17h, de segunda a sexta.



Geralmente, quem paga pelos serviços das strippers virtuais são homens casados, na faixa dos 30 anos, que têm fetiche pelas fantasias (colegial e chapeuzinho vermelho são as mais pedidas) e brinquedos (vibradores, chicotes etc) que elas usam para diverti-los na web. Eles também não resistem à tentação de se mostrar nas câmeras para essas donas de casa. O que para as profissionais é uma garantia de conferir se a outra pessoa é mesmo adulta e não um garoto babão.

Já para Ludmilla, outra stripper virtual, o bom humor é imprescindível para enfrentar a rotina de apresentações diárias. A loira de 23 anos, mora com o namorado há três e diz que adora estar sempre bem arrumada e cheirosa.

A seriedade também beira esse tipo de negócio. As strippers comentam que muitos clientes oferecem dinheiro ao se empolgar com o show pedindo um encontro pessoal, que não é o objetivo. “Acontece quase todos os dias.

Cada uma monta a sua rotina de acordo com a demanda e disposição. Ana, por exemplo, faz de dez a 15 shows diários. "Em média, troco de roupa dez vezes ao dia. Visto fantasias, lingeries, botas e roupas sensuais que agradem os meus clientes.


Fonte: G1 e Uol

























Falsos Romances na Internet, Golpistas Scammers



O sonho de conquistar um romance ao abrir uma janela de bate-papo na internet se transformou em dor de cabeça para algumas mulheres no Ceará. Seduzidas por criminosos que se passam por bons moços, as vítimas depositam fé nos sorrisos fáceis das fotografias e dinheiro nas contas dos farsantes.
Ao conhecer alguém pela internet, todo cuidado é pouco: verifique suas referências
Fazer amizade pela internet é uma realidade dos tempos modernos, mas todo cuidado é pouco. Muitas vezes, o amigo virtual pode virar um perigo.

Algumas mulheres buscam na internet o parceiro ideal. “Um cara muito inteligente, bom papo, boa conversa, muito entendido de muitos assuntos”.

Uma história cinematográfica veio à tona na Inglaterra.
o tabloide Daily Mail publicava uma reportagem sobre uma mulher de 59 anos que foi enganada por um falso namorado que conhecera pela internet, e acabou por entregar ao estelionatário suas economias da vida inteira.

Vicky Fowkes conheceu em um site de relacionamentos um suposto engenheiro civil que dizia se chamar John Hawkins. O homem dizia ser sul-africano e viver na Inglaterra, mas estaria na Nigéria a trabalho. A certa altura, Hawkins disse que retornaria à Inglaterra e que poderia encontrar Vicky. Porém, teria sido impedido de sair da Nigéria por dever impostos. O falsário pediu, então, ajuda à vítima, que entregou de bandeja 40.000 libras, o equivalente a pouco mais de 100.000 reais.

Esse tipo de golpe é bastante comum no Reino Unido. De acordo com a reportagem do Daily Mail, um estudo da Universidade de Leicester constatou que cerca de 200.000 pessoas já foram enganadas em namoros virtuais. Os valores entregues a título de ajuda ao falso namorado ou namorada variaram de 50 a mais de 275.000 libras.

Mas não é só em terras britânicas que ocorre o golpe do namoro pela internet. Esquemas como o que vitimou Vicky são aplicados em todo mundo, e a história do sujeito que está em terras estrangeiras e precisa de ajuda financeira é largamente aplicada. O Brasil mesmo já teve a sua Vicky Fowkes, que, no entanto, entregou uma quantia bem menor ao bandido.

Em 2009, uma mulher de Belo Horizonte conheceu pela internet um brasileiro que dizia morar nos Estados Unidos. Ele pediu dinheiro para comprar sua passagem ao Brasil e, depois, para custear despesas médicas. No fim das contas, a vítima depositou-lhe 2.900 reais. Quando constatou a fraude, foi à delegacia registrar a ocorrência. “A moça nem desconfiou do fato de a conta do sujeito ser de São Paulo”, diz Bruno Tasca Cabral, delegado que cuidou do caso à época.



Histórias convincentes

Ao se deparar com uma história desse tipo, a reação de muita gente pode ser de incredulidade frente à aparente ingenuidade das vítimas. Mas é bom atentar para o fato de que muitos dos estelionatários que aplicam esse tipo de golpe muitas vezes sofisticam suas histórias pessoais para ganhar a confiança da vítima, que frequentemente está passando por um momento de fragilidade emocional. Os relatos são tão ricos em detalhes que poderiam virar roteiros de cinema.

No caso britânico, fraudador e vítima conversaram durante alguns meses antes que ele pedisse dinheiro pela primeira vez. Os dois se falavam inclusive por telefone, possibilitando a Vicky identificar um sotaque sul-africano que ela achou “encantador”. “Nós conversávamos sobre tudo que existia sob o sol – famílias, relacionamentos, hobbies, interesses, animais de estimação, nosso passado. Eu confiava nele completamente”, disse a britânica ao Daily Mail.

Segundo ela, Hawkins pintou um cenário rico em detalhes de como seria sua vida na Inglaterra. Enviou-lhe fotos convincentes – aparentava ter cinquenta e poucos anos – e tinha resposta para todos os questionamentos de Vicky. Por que ele precisava do dinheiro dela para pagar o débito com o governo nigeriano? Por que tinha sido roubado, estava sem seus cartões e, portanto, sem acesso a suas contas britânicas. Por que não pedia ajuda à família? Porque não queria alarmar sua mãe. “Para tudo que eu perguntava – como por que a embaixada não poderia ajudar – ele sempre tinha uma resposta”, disse Vicky ao jornal.

No Brasil, a mentira do fraudador de 2009 também era rica em detalhes. Após conversar pela internet durante certo tempo, a vítima se apaixonou pelo falsário, que marcou sua ida ao Brasil para vê-la. No entanto, alegando estar desempregado, o homem pediu dinheiro a vítima para a passagem, e forneceu-lhe dados de uma conta bancária em São Paulo. Na véspera da suposta viagem, ele disse que não poderia embarcar, pois havia sofrido um acidente de carro.

Para dar veracidade à história, o estelionatário buscou fotos de acidentes de carro na internet e forjou imagens de si mesmo ferido, que foram enviadas à moça pelo correio. “Ele deitou numa cama, se enfaixou todo, maquiou-se para parecer ter um olho roxo e pôs um canudinho para parecer que estava tomando soro”, descreveu o delegado. A vítima, então, enviou-lhe mais dinheiro para as despesas médicas, numa quantia que totalizou 2.900 reais.

“Você jamais deve considerar que está conversando com a pessoa. Até que você tenha referências suficientes para checar seu background, não é uma pessoa, são letras e números”, diz Alexandre Atheniense, advogado especializado em Direito da Tecnologia da Informação que atua em Minas Gerais.

Outros casos

Em ambos os casos, as vítimas só perceberam o esquema quando já era tarde demais, e foram à polícia fazer o registro. No caso brasileiro, o bandido foi identificado e o processo agora corre na Justiça de São Paulo, de onde o fraudador cometeu o crime. Porém, em fóruns e comunidades da internet não faltam comentários de pessoas que dizem já ter sofrido tentativas de golpes semelhantes em sites de relacionamento.

Quase sempre o fraudador diz estar baseado em um país estrangeiro e precisar de ajuda financeira por algum motivo mirabolante. Um golpe muito comum, inclusive no Brasil, é o das supostas russas que tentam extorquir homens que conhecem em sites de namoro. São estelionatários que usam e-mails e nomes falsos – Anastasiya, Angelica, Anna Strokova, Elenka Vasilyeva, entre outros -, enviam fotos de lindas mulheres russas para fisgar suas vítimas e pedem dinheiro para as mais variadas despesas.

A Nigéria é um país constantemente mencionado em casos de embustes amorosos, assim como outros países africanos, como Gana e Serra Leoa. Muitos dos golpistas são de fato nigerianos e de outras partes da África, mas também há fraudadores em países como Inglaterra e Canadá.

Não é de hoje que a Nigéria é mencionada em mensagens de golpistas. Mesmo antes de a internet se popularizar, já existia o golpe da “carta da Nigéria” – que hoje vem por e-mail – com uma oferta de emprego na África ou gordas recompensas em dinheiro para quem depositar, para o remetente, uma determinada quantia. Quem se dispõe a conversar com o golpista vai se deparar com histórias incríveis e ricas em detalhes.

Pelo menos mais três mulheres cearenses que dizem ter sido vítimas de um golpe digital, denunciaram os casos à Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) da Polícia Civil. O titular da Especializada, delegado Jaime Paula Pessoa Linhares, disse que após a divulgação de um caso, em março deste ano, outras mulheres se sentiram encorajadas a denunciar os golpistas estrangeiros.

Duas das vítimas chegaram a fazer depósitos em dinheiro no Banco Postal para os falsários. A primeira depositou ao todo R$ 32 mil e a outra R$ 5 mil. Elas contaram que tiveram o primeiro contato com os suspeitos por meio de sites de relacionamento. Eles se mostraram carinhosos, atenciosos e apaixonados e só quando ganharam a confiança das vítimas começaram a pedir dinheiro, alegando que passavam por situações complicadas, de naturezas diversas.

Conforme a Polícia, os criminosos criam perfis falsos, com fotografias aleatórias, e estudam o perfil das vítimas, como idade, profissão. Em momentos de instabilidade emocional, a pessoa estará mais propensa a cair no golpe ( Foto: Bruno Gomes )

Ângela Maria de Barba Rocha, de 28 anos, foi atraída para o Ceará e morta com golpes na cabeça ano passado
Já a professora aposentada Maria das Graças Martins Nina, 66, foi assassinada a mando do genro
Diante de tanta exposição, a dica é ter sempre cuidado com as informações compartilhadas ( Foto: Bruno Gomes )
O sonho de conquistar um romance ao abrir uma janela de bate-papo na internet se transformou em dor de cabeça para algumas mulheres no Ceará. Seduzidas por criminosos que se passam por bons moços, as vítimas depositam fé nos sorrisos fáceis das fotografias e dinheiro nas contas dos farsantes.

Pelo menos mais três mulheres cearenses que dizem ter sido vítimas de um golpe digital, denunciaram os casos à Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) da Polícia Civil. O titular da Especializada, delegado Jaime Paula Pessoa Linhares, disse que após a divulgação de um caso, em março deste ano, outras mulheres se sentiram encorajadas a denunciar os golpistas estrangeiros.

Duas das vítimas chegaram a fazer depósitos em dinheiro no Banco Postal para os falsários. A primeira depositou ao todo R$ 32 mil e a outra R$ 5 mil. Elas contaram que tiveram o primeiro contato com os suspeitos por meio de sites de relacionamento. Eles se mostraram carinhosos, atenciosos e apaixonados e só quando ganharam a confiança das vítimas começaram a pedir dinheiro, alegando que passavam por situações complicadas, de naturezas diversas.

Ousadia

A outra denunciante disse que não se inscreveu em nenhum site de relacionamento, mas o estelionatário conseguiu seus contatos online e começou uma conversa. Segundo ela revelou à Polícia, as desconfianças começaram quando o homem que se dizia apaixonado lhe disse que precisava de dinheiro.

"Foi muito importante ela ter tido esta percepção de que não é normal no início de um relacionamento alguém já estar pedindo dinheiro. Ao descartar a possibilidade de fazer os depósitos, rapidamente os contatos foram encerrados", afirmou Linhares.

Segundo o delegado, a fraude continua de acordo com a disponibilidade da vítima. "Enquanto você não percebe que está sendo parte de um golpe e está correspondendo ao que eles pedem, terá atenção e continuará sendo procurada", explicou.

Jaime Paula Pessoa afirmou que as fraudes são idênticas e que, infelizmente, a possibilidade de a vítima ter o dinheiro depositado para os estelionatários, ressarcido, é muito pequena. "O trabalho da Polícia é identificar e punir quem comete crimes e isto nós estamos fazendo com bastante empenho. No entanto, conseguir o dinheiro de volta é outra coisa. Quando se rouba um bem, é fácil de recuperar, porque aquele objeto pode ser descaracterizado, mas não deixará de ser o que sempre foi. Já o dinheiro, é gasto e pronto", disse o delegado.

O titular da DDF alerta que a conversa mantida pelos falsários é sempre muito parecida e o perfil apresentado na internet é padrão. Segundo ele, é necessário manter-se alerta para pontos que são convergentes em todas as fraudes que já foram denunciadas à Polícia.

"Sempre postam fotos de pessoas atraentes como se fossem deles, se dizem empresários ou investidores, afirmam que estão montando um negócio novo muito promissor, demonstram o interesse de vir ao Brasil conhecer as vítimas e logo em seguida pedem dinheiro. No começo, exigem quantias pequenas, mas quando veem que estão conseguindo o que querem a situação vai piorando. Esta senhora que chegou a depositar R$32 mil, fez vários depósitos. Eles indicam até que o dinheiro deve ser depositado no Banco Postal, porque não ficam registros da transação", disse.

Para o delegado, não é difícil cair em um golpe destes e a situação emocional da vítima conta muito para que a fraude seja concretizada. "Estamos falando de golpistas especializados, de pessoas que estão toda hora procurando uma forma de aperfeiçoar fraudes. Eles estudam as características, idade, profissão das pessoas para ver o que pode agradá-las. Se a pessoa está emocionalmente fragilizada, é normal que não perceba a armação".

Linhares contou ainda, que os golpes acontecem de forma rápida e que, em cerca de um a dois meses, a vítima já é descartada.

"Infelizmente, as vítimas estão em sites de relacionamento como produtos em prateleiras para serem escolhidas por estes criminosos. Não se trata de uma pessoa realmente apaixonada, não há uma dedicação exclusiva. À medida em que vão ganhando o dinheiro, vão descartando as mulheres".

O delegado pede a colaboração de todas as pessoas que suspeitam que podem ter sido vítimas deste golpe, para que denunciem à Polícia.

"Comparecer à Delegacia faz com as pessoas resgatem a autoestima, porque quando você é vítima de um golpe se sente um bobo, se vê humilhado, mas quando sabe que está ajudando a outras pessoas a não caírem na conversa destes 'espertalhões', se sente melhor".

Segundo o delegado, as vítimas demonstram em seus depoimentos o quanto estão deprimidas com o que lhes aconteceu.

"Às vezes, a gente pensa que uma arma apontada para a cabeça é o que assusta, o que traumatiza, mas ninguém queira experimentar uma situação como esta. Você é vítima de alguém que usou seus sentimentos e levou embora o seu dinheiro. A sensação de impotência, de não poder sequer verbalizar o que você sente, por vergonha, é algo certamente muito doloroso".

Crime internacional

Como existem indícios muito fortes de que os suspeitos dos golpes estejam em outros Países, o inquérito que apura os casos foi encaminhado também à Polícia Federal (PF) e à Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).

"A PF tem contatos estreitos com a Interpol e com as Embaixadas de diversos Países que poderão nos ajudar; e a DDM também será um suporte, já que é especializada em lidar com casos em que mulheres são vítimas. São colaborações importantes para nós", considerou o delegado.

Casos recentes mostram perigo de romances virtuais

Perder dinheiro acaba sendo dos males o menor se comparado com o que passaram algumas mulheres, recentemente, no Ceará, graças a romances iniciados em redes sociais ou na internet.

Em março do ano passado, por exemplo, a paranaense Ângela Maria de Barba Rocha, de 28 anos, foi atraída para o Ceará e morta com golpes na cabeça. O suspeito do crime, o cearense cobrador de ônibus Clécio de Oliveira Braga, 33, está preso e aguarda julgamento.

A mulher, formada em Química, era natural do Paraná mas vivia na Paraíba, onde trabalhava, quando conheceu Clécio pela internet. O suspeito era casado e pai de uma criança de cinco anos de idade, mas se aproximou de Ângela, que mantinha um perfil em uma rede social, para começar um relacionamento amoroso.



Danillo Fernandes, preso esta semana, usa o computador pra escolher suas vítimas. “A gente começava a conversar, marcava encontro e, quando dava a oportunidade, eu furtava e ia embora”, revela o suspeito.


Janinha Pereira foi seu alvo mais recente. E o desfecho do primeiro encontro real foi trágico. Ela foi morta pelo galanteador, que ia atrás de mulheres em sites de namoro com um objetivo: roubar.

Janinha, de 37 anos, era secretária. Solteira, ela tinha acabado de terminar um relacionamento de seis anos. Morava em Montes Claros, Minas Gerais.

“Ele começou a conquistar ela aos poucos, falando que sabia cozinhar bem, que sabia dançar, que era uma pessoa que gostava muito de casa, de cuidar de casa”, conta a cunhada da vítima, Lidiane do Carmo Guimarães. “Ela acreditava no que as pessoas falavam. Quando esse cara falou essas coisas para ela, ela ficou toda encantada”.

“Geralmente, elas buscam companhia, acho que é o principal”, diz suspeito pelo assassinato. Danillo está preso e já confessou para a polícia que matou Janinha. Segundo ele, o crime ocorreu depois de uma discussão.

Ele revelou também nove casos em que roubou as "namoradas" que tinha conquistado pela internet. “Celulares, dinheiro, máquina fotográfica. Quando surgia a oportunidade por descuido da pessoa, eu simplesmente pegava as coisas de valores e ia embora, saía”, conta Danillo.

“Existe a possibilidade de elas nem mesmo terem procurado a polícia”, diz a delegada de Montes Claros, Karla Marques.

Danillo dizia morar em São Paulo, ser solteiro, sem filhos. Incrementava o perfil com informações que ele mandava por e-mail. O Danillo "virtual" era um amante da cultura e culinária japonesas. Dizia que praticava o budismo, que morava no bairro da Liberdade e que dividia a casa com um cão da raça Akita, chamado Fred.

Era um perfil atraente, mas mentiroso. Terminava enviando suas fotos e mais um recado:

“Isso é o que tem para saber de mim pela net. O mais, só com o dia a dia”.

Por trás dessa imagem de "bom partido", Danilo escondia sua verdadeira identidade: não trabalhava e, sem endereço fixo, dormia em pensões baratas do centro de São Paulo. Escondia também uma vida criminosa com passagens pela polícia por roubos e estelionato.

“Era galanteador demais, cavalheiro, prestativo e assim, acima de qualquer suspeita. O tipo de homem que toda mulher gosta”, lembra uma vítima de Danillo.

Mas não é só para furtar que existem golpes, tem os "sádicos" que usam das mesmas artimanhas para convencer mulheres a fazerem o que querem a seu benefício não apenas financeiro, mas para o egocentrismo extremo, homens que fingem serem os ideias a mulheres carentes que estão na rede a procura de um parceiro ideal, um romance, um amor, e enganam, fazem as se afastarem da família, dos amigos, isolam essas mulheres e as matam psicologicamente, enganando-as com quando elas desconfiam, que sofreram acidentes, que estão em hospitais, criam doenças graves, falsas viagens, para não encontrarem pessoalmente e manter a manipulação com as vitimas.

Existe em uma rede social um perfil de um desses falsários para denuncias.

https://www.facebook.com/JLestelionato/

Dicas

Fazer amizades e começar namoros pela internet já é uma realidade. Mas antes de confiar na pessoa com quem você se corresponde, é preciso checar suas referências virtuais e reais. “Qualquer golpista evita dar referências presenciais sobre si. Ele vai tentar conduzir toda a sua interlocução pelo meio eletrônico”, diz Alexandre Atheniense.

O primeiro passo é checar o nome da pessoa nas redes sociais e nos mecanismos de busca. A falta de informações é um primeiro sinal de suspeita. Busque também seu e-mail nos mecanismos de busca para verificar se aquela conta já não foi usada em golpes anteriores. Existem centenas de sites e fóruns online em que os internautas alertam sobre golpistas reincidentes.

“Mas não se contente com as referências virtuais, cheque também referências presenciais”, alerta o advogado. Verifique se a pessoa realmente trabalha onde diz trabalhar. E se, depois de um tempo de relacionamento, ela não fornecer um endereço físico, não embarque. É claro que existem golpistas que chegam a se relacionar presencialmente com as vítimas para, depois, roubá-las. Mas a prevenção virtual já evita boa parte dos embustes.

Existem ainda outros elementos que evidenciam os golpes logo de cara. “São comuns erros de português nesses e-mails. Se houver, logo no primeiro contato, uma oferta mirabolante mediante depósito em dinheiro, mesmo que o remetente seja conhecido, é golpe na certa. Ninguém faz uma abordagem assim tão direta, por melhor que seja a proposta”, diz Atheniense.

Fonte: Exame, G1,

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Shadowside (Lança novo Vídeo Clip com super produção)

Shadowside banda brasileira em destaque pelo mundo em mais de 100 sites, entre eles os gigantes BlabberMouth, Metal Italia, Rafabasa e revista Rock Hard (DE).
Novo videoclipe Alive marca a carreira da banda com uma superprodução cinematográfica de quase 10 minutos pelo diretor Daniel Stilling, de Criminal Minds e Perdido em Marte.







SHADOWSIDE - ALIVE (Videoclipe oficial), música do novo álbum SHADES OF HUMANITY (2017). Letras em inglês e português em http://shadowside.net/alive.html

Compre Shades of Humanity em pré-venda em:
Versão Europa/Estados Unidos:
http://www.nuclearblast.de/en/product...
https://goo.gl/VDuu5r (Amazon UK - Digital e CD)

Versão japonesa (com a faixa bônus "Haunted"):
http://tower.jp/item/4511106/Shades-o...
https://goo.gl/454Sna (Amazon Japão)

Pré-venda em lojas brasileiras em Agosto

Direção do videoclipe: Daniel Stilling

Álbum Shades of Humanity produzido, mixado e masterizado por Fredrik Nordström e Henrik Udd

Assista ALIVE:
https://www.youtube.com/watch?v=EF9Tv5USAYg
http://www.blabbermouth.net/…/shadowside-releases-alive-vi…/
https://www.rockhard.de/…/48871-shadowside-alive-video-ist-…
https://metalitalia.com/artic…/shadowside-il-video-di-alive/
http://www.rafabasa.com/…/eclipse-venom-shadowside-maryann…/

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Exorcismo de Emily Rose A História Real.


Exorcismo de Emily Rose – A Verdadeira História


Emily Rose foi em realidade uma jovem alemã chamada Anneliese Michel que desde seu nascimento em 21 de setembro de 1952, desfrutava de uma vida normal sendo educada religiosamente desde muito pequena. No entanto, sem advertência sua vida mudou de uma hora para outra quando em um dia do ano de 1968 começou a tremer e se deu conta de que não tinha controle sobre seu próprio corpo. Não conseguiu chamar a seus pais, Josef e Anna, nem a nenhuma de suas três irmãs. Um neurologista da Clínica Psiquiátrica de Wurzburg, Alemanha, a diagnosticou com o "grande mau" da epilepsia. Devido aos fortes ataques epilépticos e à depressão seguinte, Anneliese foi internada para tratamento no hospital.

Tudo começou em 1968, quando ela ainda estava no colégio e começou a sofrer de convulsões. Seu primeiro ataque epilético veio em 1969, e ela era saudável até então. Com isso, vários médicos ficaram intrigados, e um neurologista da Clínica Psiquiátrica Wurzburg a diagnosticou com um tipo de epilepsia chamada de “Grand Mal”. Até então, Anneliese era uma garota comum e religiosa.

A próxima mudança foi a presença de figuras demoníacas, que apareciam toda vez que Anneliese tentava rezar. Ela também começou a ouvir vozes, que a diziam estar amaldiçoada. Com isso, entrou em depressão e começou a pensar em suicídio. Em 1975, quando até os pais começaram a perceber a seriedade dos problemas com sua filha, ela já havia mudado de aparência drasticamente. Então deu-se início à procura de ajuda em clínicas e, finalmente, igrejas.

A descoberta
Ao mesmo tempo, uma idosa partiu uma caminhada com Anneliese. Durante a peregrinação, percebeu que ela evitou passar próxima de uma imagem de Jesus e também se negou a beber água de uma fonte da região considerada sagrada.


Fora isso, ela “cheirava como o inferno”, o que fez com a idosa a levasse até um exorcista, numa cidade próxima, e a possessão fosse pela primeira vez “confirmada”. À medida que o tempo passava, as alucinações pioravam e ela começava a ver pessoas com rostos de demônios e outros tipos de paranoias



Apesar de diagnósticos médicos terem apontado-a como esquizofrênica, a família escolheu seguir apenas com os exorcismos, realizados principalmente pelo padre Arnold Renz e o pastor Ernst Alt (respectivamente, na foto). Anneliese já estava sem conseguir comer e debilitada, e se algum tipo de cura não fosse encontrada rapidamente, ela morreria.

Os exorcistas, então, utilizaram 67 ritos ao longo de 10 meses, com uma ou duas sessões por semana, que tinham duração de até 4 horas. Apesar disso, a possuída rasgava suas roupas, urinava e bebia o próprio líquido do chão, comia moscas, aranhas, carvão e até a cabeça de um pássaro morto. Houve um episódio em que se enfiou debaixo de uma mesa e latiu como um cão por dois dias. Ela ainda ouvia vozes gritando contra as paredes por horas, o que a deixava enlouquecida.


Dentre os espíritos que a possuíram, ela mesma citou nomes como Lúcifer, Caim, Nero, Judas, Hitler e outros grandes espíritos malignos que já assombraram a humanidade. Se você tem nervos de aços, pode ouvir os áudios originais, que os padres gravaram



Oficialmente, após a morte de Anneliese, por inanição, os dois padres e os pais de Anneliese foram condenados por negligência resultante em morte, já que não impediram a filha de morrer. Para a filha, jejuar faria com que os espíritos perdessem a força. Hoje, a lápide dela fica num local que pode ser visto da casa onde morava, ainda habitada por seus pais, que provavelmente até hoje se perguntam o quê realmente aconteceu com sua filha toda vez que olham pela janela.

Os pais não receberam pena, pois já haviam sofrido a perda da filha e os padres receberam três anos em liberdade condicional.

Em 2005, os Michel deram uma entrevista e revelaram que acreditavam verdadeiramente que sua filha estava possuída por um demônio.

E que, ao morrer, ela se libertou. Com isso, ao menos, estamos todos de acordo.



Pouco tempo depois que tomaram conhecimento destes fatais eventos o filme "The Exorcist" de William Friedkin estreou nos cinemas da Alemanha, levando uma onda de histeria paranormal que infectou todo o país. Psiquiatras em toda Europa reportaram um incremento de idéias obsessivas em seus pacientes.
Os promotores do caso levaram mais de dois anos para conseguir a acusação dos exorcistas de homicídio por negligência. O "Caso Klingenberg" devia ser decidido sobre duas perguntas: O que causou a morte de Anneliese Michel e quem era o responsável?
De acordo à evidência forense, ela morreu de fome e os especialistas demandaram que se os acusados a tivessem forçado a comer uma semana antes de sua morte, Anneliese poderia ter sido salva. Uma irmã declarou que Anneliese não queria ir a uma instituição mental porque poderiam sedá-la e obrigá-la a comer. Os exorcistas trataram de provar a presença de demônios mostrando as gravações dos estranhos diálogos, quando demônios discutiam qual deles iria deixar o corpo de Anneliese primeiro. Um deles, que chamava a si mesmo de Hitler, falava com sotaque carregado (Hitler era austríaco). O fato é que nenhum dos presentes durante o exorcismo teve a mínima dúvida da autentica presença destes demônios.
Os psiquiatras, que foram chamados a testemunhar, falaram da "Doctriniarire Induction". Eles disseram que os padres tinham dado a Anneliese o conteúdo de suas condutas psicóticas aceitando sua conduta como uma forma de possessão demoníaca. Também declararam que o desenvolvimento sexual instável de Anneliese junto a sua diagnosticada epilepsia tinha influenciado a psicose

O veredicto foi considerado, por muitos, menos rigoroso do que se esperava, os pais de Anneliese assim como os exorcistas foram considerados culpados de assassinato por negligência e de omissão de primeiros socorros. Foram sentenciados a seis meses de prisão que nunca cumpriram com liberdade condicional impetrada. O veredicto incluía a opinião da corte de que os acusados ao invés de propiciar o tratamento médico que a garota precisava, decidiram por práticas supersticiosas que agravou a já crítica condição de Anneliese. Uma comissão da Conferência Episcopal Alemã depois declarou que Anneliese Michel realmente não estava possuída, no entanto, isto não impediu aos crentes a continuar com a luta de Anneliese, já que muitos criam em sua possessão e que o corpo dela não encontrou paz inclusive após a morte. Seu cadáver foi exumado onze anos e meio depois de ser enterrada, só para confirmar que havia se descomposto e se estava sob condições normais. Na atualidade sua sepultura permanece como um lugar de peregrinação para rezar "o terço" por aqueles que acham que Anneliese Michel lutou valentemente contra o demônio.


Depois de uma missa dominical, ao lado do padre Bob Meets, Anna, a mãe de Anneliese , fez recentemente uma de suas poucas e breves declarações a imprensa:
- "Não me arrependo do que fizemos, era o que tínhamos para combater aquele mal".

Apesar de ser um bom filme, "O Exorcismo de Emily Rose" desvia-se da verdadeira história de Anneliese. O filme alemão Réquiem, de Hans-Christian Schmid, centra-se no verdadeiro calvário da sofrida moça.

Antes de críticas contumazes, melhor lembrar que os pais de Anneliese eram simples devotos, não fanáticos. Ninguém incide na gravidade do transtorno e na medicação, totalmente equivocada, e os médicos lavaram as mãos neste caso.

O áudio do seguinte filme são fragmentos recuperados das fitas cassete com as gravações das sessões de exorcismo.





Fonte: Fatos Desconhecidos, Youtube, Mistérios do mundo.

terça-feira, 2 de maio de 2017

NEOPHITUS (Death Metal) New Line Up????




Nas próximas semanas a Neophitus estará anunciando o new Line Up, quem serão os novos integrantes a se juntarem a Alex Pinho (Vocals) e Nando Morais (Drums) nessa nova empreitada ???? Fiquem atentos, será revelado em breve!!!

NEOPHITUS Started its march in May, 2000. The band arises with the purpose to execute a technical Brutal Death Metal, with cadenced and morbid passages. Its lyrics are based in horror tales, necrophilia, pedophilia, rapes followed by death, serial killers, atrocities, approaching the dark side of human mind, all feelings that move human being, such as hate , pain, betrayal and the total war against Christianity. In June, 2001, the Demo Tape entitled "Ominous" (Live Sessions) was launched and, in October, 2002, the horde participated of "Rock Soldiers..9", with the song "Malign Spirit", distributed in Brazil by UGK Discos and in Europe by Murray Art, from German. The Cast nowadays is: Alex (vocals) and Nando (drums) At the moment, the is working on new compositions to launch new materials. Hail True Brazilian Death Metal ... We don't escape the war!!!

Poemas.


Model Adrianne Britto.

Mulher...
Ser inexplicável...
Mesmo brava pode ser amável...
Chora quando feliz, sorri quando triste...
Parece frágil mesmo sendo forte...
O que a tem é um homem de sorte...
Personalidade tímida mas postura poderosa...
Rosto suave mas no fundo geniosa...
Sonhadora, guerreira, loba sorrateira...
Menina, mulher, sonho derradeira...
Fez se bela, fez se elas
Amores por elas, milagres vindo delas...
MULHERES!
BY Alex Pinho



Model Renata Cássia.


Amor em Preto e Branco.
Ama-la sem que ela saiba...
Devota-la sem que ela sinta...
Venera-la sem que ela imagine...
Deseja-la sem que ela desconfie...
Procura-la sem que ela exista...
Encontra-la mesmo que ela não perceba...
Cores, aquarela, arco íris, amor...
By Alex Pinho



Model Flávia Renata Guinho.


Silêncio!
Amar-te em plenitude, sem amarras.
Olhar-te sem que percebas minha presença.
A calmaria desse amor me afortunas.
Na manhã bucólica eu lembrei.
Que o riso escarlate imaginei.
Olhando o lado frio do amor.
Que minha paz está lá contigo, sou sabedor.
Na asa do silêncio voar.
Para um dia em teus braços repousar.
By Alex Pinho



Model Lia Pedrini.


Mulher é feita de fases.
Um dia mel;
Outro fél;
Um dia mar;
Outro céu;
Um dia amor;
Outro terror;
Um dia robótica;
Outro erótica;
Um dia virginal;
Outro escultural;
Um dia sonho;
Outro pesadelo;
Um dia rancorosa;
Outro amorosa;
Um dia espinhos;
Outro rosa;
Um dia... Outro... Fases...
BY Alex Pinho



Model Nina Silva.


O Grito.
O teu lugar é em frente ao mar...
Mulher, de alma aprisionada...
Sedenta de liberdade...
Alma sufocada...
Que grita por socorro...
E eu aqui a esperar...
Pra te livrar dessas amarras.
By Alex Pinho



Model Raizy Avanzo.


SEDENTO.
Do véu saíste tu, com aroma virginal exalante.
Instinto, voracidade aflora...
Corpo, mente, desejos dominam...
Fugaz é teu corpo, um brinquedo erótico...
Imaginações despertas, mentes diabólicas...
Impulsos sem inocência, farejada, encontrada.
Do prazer a devassidão amante perpétuo serão...
By Alex Pinho



Model Alex Pinho


Encontro.
Encontrei-me
Olhando ao meu redor
Minha estima é bem maior
Meus sonhos sei de cór
Uma canção do Belchior
Sem você não é pior
Amar-me é bem melhor.
By Alex Pinho



Model Verônica Mingorance.


Reciprocidade!
É teu, é meu;
Me amas, te venero;
Me tens, te abraço;
Tens fome, eu devoro;
Tens frio, eu aqueço;
Com tesão, sacio;
Com amor, deleito.
By Alex Pinho



Models Lia Pedrini, Tatiana, Bu Bolzan, Nádia Castillo.


Suas mãos.
Femininas, macias, aveludadas, carinhosas, charmosas, bem quistas, encantadoras, harmônicas, simétricas, graciosas, impecáveis, asseadas, atrativas, venustidades;
Mãos femininas.
By Alex Pinho



Model Monnyka Haddad


Riscado.
Desenhado, projetado;
Desejado, cortejado;
Invejado, endeusado;
Delicado, adequado;
Aficionado, amanteigado;
Admirado, amarrado;
Beijado, implorado.
By Alex Pinho



sábado, 7 de janeiro de 2017

Neophitus (Death Metal) no Programa PTD da Dark Rádio.



A Neophitus domingo dia 08/01 a partir das 15:00 horas, horário Brasileiro estará sendo divulgada no programa PTD da Dark Rádio com direito a execução da música The Slayer´s Nitghmare da Demo "Ominous" ouça pelo Site: www.darkradio.com.br Ouçam e divulguem. Começando 2017 com novidades, FELIZ ANO NOVO. HAPPY NEW YEAR FOR ALL.



Contatos Neophitus.
neophitusdeathmetal@gmail.com
Twitter: @NeophitusDM
Facebook:
https://www.facebook.com/NeophitusDeathMetalOfficial/

domingo, 13 de novembro de 2016

James "Whitey" Bulger, (O Mafioso que inspirou 2 filmes)



James Joseph "Whitey" Bulger, Jr.
Quem é? o que ele representou?

James Joseph "Whitey" Bulger, Jr. (3 de setembro de 1929) é um criminoso estadunidense descendente de irlandeses, tendo se tornado um dos mais procurados pelo FBI. Ele era procurado pela participação em 19 assassinatos, nas décadas de 1970 e 1980. Ex-chefe da Winter Hill Gang, uma organização criminosa irlandesa situada Boston, nos Estados Unidos que controlava extorsão e tráfico de drogas. Era oferecida uma recompensa de dois milhões de dólares por informações que levem à captura do criminoso. Foi preso na Santa Mônica, Califórnia, em 22 junho de 2011,aos 81 anos. Morava em um apartamento a beira-mar, junto com ele foi presa também sua mulher, Catherine Elizabeth Greig. Que logo depois também foi condenada a 8 anos de prisão, por ser cúmplice de um perigoso fugitivo do FBI.

Nome James Joseph Bulger, Jr.
Data de Nascimento 3 de setembro de 1929 (87 anos)
Local de Nascimento Boston, Massachusetts
Estados Unidos
Nacionalidade Povo dos Estados Unidos norte-americano
Outros nomes Whitey
Jimmy
George Latham
Tom Harris
Tom Bulger
Mark Shapeton
Thomas Marshall
Charles Gasko
Ocupação Gangster
Crime (s) Tráfico de drogas
Extorsão
Suborno
Assassinatos
Lavagem de dinheiro
Sequestro
Crime organizado
Roubos
Apostas Ilegais
Pena Prisão perpétua por 31 acusações:
19 assassinatos
Lavagem de dinheiro
Extorsão
Porte de armas ilegal
Situação Preso
Esposa Catherine Elizabeth Greig
Filho (s) Douglas Glenn Cyr (1967–1973)
Parente (s) Billy Bulger (irmão)
John P. Bulger (irmão)
3 irmãs
Valor da recompensa US$ 2 milhões
Situação de captura Preso em em 22 de junho de 2011
Procurado por FBI
Procurado desde 23 de dezembro de 1994
Afiliação (ões) Gangue Winter Hill
Inimigo (s) Máfia em Boston

O Julgamento e o filme Black Mass reconstituir parte da história de um dos mafiosos mais notórios dos Estados Unidos e um homem que foi colocado ao lado de Osama bin Laden na lista dos fugitivos mais procurados.



Após 16 anos de buscas o FBI prendeu nesta quarta-feira James 'Whitey' Bulger, de 81 anos, um dos gângsters mais procurados dos Estados Unidos. Ele é acusado de cometer 19 assassinatos, além de extorsões, lavagem de dinheiro, conspiração e tráfico de drogas. Segundo a Polícia Federal, ele foi preso com a mulher, Catherine Greig, de 60 anos, em uma casa em Santa Mônica, na California.

Bulger foi chefe do grupo mafioso Winter Hill, em Boston, antes de fugir em 1995, depois de ter sido denunciado por um ex-agente do FBI. Sua história inspirou o filme "Infiltrados", de Martin Scorsese, ganhador de quatro Oscar em 2007.



Os policiais creditam a prisão a uma campanha publicitária na TV que ressaltava características da mulher de Bulger, como o gosto por cães, salões de beleza e cirurgias plásticas. Depois disso o FBI recebeu 350 pistas em 14 cidades.

As autoridades americanas tinham oferecido uma recompensa de US$ 2 milhões por informações que levasse à prisão do mafioso e US$ 100 mil pelo paradeiro de Greig. Antes da prisão a última pista da polícia sobre o casal tinha sido em Londres, em 2002.

"Whitey" Bulger, 83 anos, imortalizado pelo ator Jack Nicholson no filme "Os Infiltrados" de Martin Scorsese, foi o chefe da máfia irlandesa em Boston nos anos 70 e 80.

Durante esses anos, o grupo de Bulger, do sul de Boston, e seus rivais da máfia italiana, com conexões em Nova York, protagonizaram uma sangrenta luta pelo controle da cidade em cenas que agora são revividas no julgamento realizado em Boston. Bulger está sendo acusado de 19 assassinatos durante seus anos à frente da temida Winter Hill Gang, que controlava grande parte do tráfico de drogas, extorsão e apostas ilegais da cidade.



No início do julgamento, o mítico gângster ouviu algemado e com um olhar sério ao relato de seu antigo parceiro, Joe Martorano, que detalhava seu sangue frio na hora de ordenar execuções.

Em uma delas, ambos estavam juntos em um carro, acompanhando outro sócio, Thomas King, com o objetivo de entregar uma "encomenda"; mas antes de chegar ao destino, Martorano mirou na cabeça de King e disparou, diante do olhar tranquilo de Bulger. Pouco depois, e ao passar por uma ponte perto de onde supostamente se desfizeram do corpo, Martorano lembrou a ironia de Bulger ao dizer-lhe: "Tire o chapéu, aí está Tommy (Thomas King)".




ESTADOS UNIDOS
Traição, corrupção e crueldade: conheça o maior mafioso de Boston
Líder da temida Winter Hill Gang, James "Whitey" coordenou a máfia irlandesa de Boston nos anos 70 e 80. Capturado em 2011, Bulger foi interpretado por Jack Nicholson no filme "Os Infiltrados"
3 AGO 2013 08h33
separator0COMENTÁRIOS
O julgamento do gângster James "Whitey" Bulger, que está ocorrendo desde o fim de junho em Boston, se tornou um dramático cruzamento de acusações, digno dos melhores filmes de máfia, em uma mistura de deslealdade, corrupção policial e crueldade sem limites. Entre acusações de assassinatos, tráfico de drogas e múltiplos outros crimes, o julgamento tenta agora reconstituir parte da história de um dos mafiosos mais notórios dos Estados Unidos e um homem que foi colocado ao lado de Osama bin Laden na lista dos fugitivos mais procurados.

James "Whitey" Bulger com animal de estimação em imagem fornecida pelo sua Defesa durante o julgamento. "Whitey" Bulger, 83 anos, e imortalizado pelo ator Jack Nicholson no filme "Os Infiltrados" de Martin Scorsese, foi o chefe da máfia irlandesa em Boston nos anos 70 e 80. Durante esses anos, o grupo de Bulger, do sul de Boston, e seus rivais da máfia italiana, com conexões em Nova York, protagonizaram uma sangrenta luta pelo controle da cidade em cenas que agora são revividas no julgamento realizado em Boston James "Whitey" Bulger em imagem não datada divulgada pela promotoria do Estado americano de Massachusetts. Bulger está sendo acusado de 19 assassinatos durante seus anos à frente da temida Winter Hill Gang, que controlava grande parte do tráfico de drogas, extorsão e apostas ilegais da cidade. Bulger fugiu em 1994 e ficou durante 16 anos escondido em um apartamento simples da tranquila cidade Santa Mónica, no condado de Los Angeles, às margens do Pacífico, junto com sua namorada Catherine Greig, enquanto tinha sido colocado pelo FBI na lista dos fugitivos mais procurados, junto a Osama bin Laden.

Durante esses anos, o grupo de Bulger, do sul de Boston, e seus rivais da máfia italiana, com conexões em Nova York, protagonizaram uma sangrenta luta pelo controle da cidade em cenas que agora são revividas no julgamento realizado em Boston. Bulger está sendo acusado de 19 assassinatos durante seus anos à frente da temida Winter Hill Gang, que controlava grande parte do tráfico de drogas, extorsão e apostas ilegais da cidade.

No início do julgamento, o mítico gângster ouviu algemado e com um olhar sério ao relato de seu antigo parceiro, Joe Martorano, que detalhava seu sangue frio na hora de ordenar execuções.
Em uma delas, ambos estavam juntos em um carro, acompanhando outro sócio, Thomas King, com o objetivo de entregar uma "encomenda"; mas antes de chegar ao destino, Martorano mirou na cabeça de King e disparou, diante do olhar tranquilo de Bulger. Pouco depois, e ao passar por uma ponte perto de onde supostamente se desfizeram do corpo, Martorano lembrou a ironia de Bulger ao dizer-lhe: "Tire o chapéu, aí está Tommy (Thomas King)".

A defesa de Bulger, por sua parte, apresentou Martorano como um assassino capaz de qualquer coisa por dinheiro e criticou o fato de ter colaborado com a Justiça para diminuir sua pena. Martorano, que enfrenta 20 acusações de assassinato, das quais 12 teriam sido sob as ordens de Bulger, revelou a profunda tristeza sentida ao tomar conhecimento, na década de 1990, que Bulger e outro sócio, Stephen Flemmi, tinham trabalhado como informantes da polícia durante anos.
"Quando fiquei sabendo que eram informantes, me partiu o coração. Eram meus parceiros, meus melhores amigos, eram os padrinhos dos meus filhos", afirmou Martorano, lembrando que colocou o nome de seu filho mais novo de James Stephen em homenagem a Bulger e Flemmi. Segundo a investigação, Bulger e Flemmi mantinham suas operações à margem da lei enquanto davam pistas aos policiais sobre a atuação da máfia italiana, seus grandes rivais.



Não podia faltar, na trama, a figura do policial corrupto, o agente do FBI (polícia federal americana), John Connolly, criado no mesmo bairro que Bulger, que avisava aos gângsteres sobre as operações policiais. Ele atualmente também cumpre pena na Flórida.

Na reviravolta final, houve a conexão política. O irmão de "Whitey" Bulger, William, era um famoso político local que chegou a ser presidente do Senado de Massachusetts e esteve à frente da prestigiada Universidade Estadual até que os vínculos com seu irmão, com quem supostamente conversou enquanto estava foragido, o obrigaram a colocar um fim na sua carreira pública em 2003.

Parte da história de Bulger é contada em "Os Infiltrados", que estreou em 2007. Porém, o que não aparece no filme é o que aconteceu depois. Bulger fugiu em 1994 e ficou durante 16 anos escondido em um apartamento simples da tranquila cidade Santa Mónica, no condado de Los Angeles, às margens do Pacífico, junto com sua namorada Catherine Greig, enquanto tinha sido colocado pelo FBI na lista dos fugitivos mais procurados, junto a Osama bin Laden.

Perante a dificuldade de localizar o gângster, os agentes federais se focaram no paradeiro de Catherine, conhecida por sua paixão pela cirurgia estética. Ela finalmente foi encontrada em 2011, acompanhado por um Bulger, ligeiramente envelhecido, que vivia sob outro nome.

O julgamento deve se estender por pelo menos mais um mês. Pelo tribunal está passando uma longa de lista de testemunhas, entre eles antigos criminosos, ex-policiais e parentes de vítimas.



O Criminoso na prisão se recusou a conversar com Jonny Depp pra ele ter referências para o Filme Black Mass.
Jonny então teve de se inspirar em fotos e vídeos da época.
Seu advogado relatou também que ele está ciente da produção mas não tem interesse em assisti-la.
Depp revelou isso a uma entrevista a revista Time.






O Drama é baseado no livro homônimo dos jornalistas Dick Lehr e Gerland O´Nell



Fontes: O Globo, Terra, Youtube, Cinepop...



segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Call of Duty: Infinite Warfare' (Game)

Call of Duty: Infinite Warfare' Lançamento.


Connor Macgregor no jogo.


'Call of Duty: Infinite Warfare' é principal lançamento da semana
Game leva série de tiro para o espaço e conta com ator que faz Jon Snow.


"Call of Duty: Infinite Warfare", game que leva a série de tiro ao espaço, é o principal lançamento desta semana. O jogo sai para PlayStation 4, Xbox One e PCs na sexta-feira (4). Este é o primeiro jogo da franquia em 10 anos sem versões para Xbox 360 e PS3.

Cumprindo o dever no espaço
"Infinite Warfare" dá continuidade à ambientação futurista que a franquia ganhou nos últimos anos e leva "Call of Duty" para combates no espaço.
No game, a Terra teve seus recursos naturais dizimados, o que deixou a humanidade dependente de colônias que exploram planetas e asteróides pelo sistema solar. O jogador controla o Capitão Reyes, piloto de uma das últimas naves de guerra da Terra, na luta contra A Frente, uma organização fascista que busca controlar as riquezas dessas colônias.
Desenvolvido pela Infinity Ward, criadora da série "Call of Duty", "Infinite Warfare" terá tiroteios em gravidade zero e batalhas com jatos de combate. O estúdio também irá importar o modo "Zumbis", visto originalmente na série "Call of Duty: Black Ops".
Quando foi revelado, o público não se empolgou muito com a ideia de "Infinite Warfare". Tanto que o primeiro trailer do jogo de tiro bateu o recorde de negativações no YouTube.




Call of Duty®: Infinite Warfare returns to the roots of the franchise where large-scale war and cinematic, immersive military storytelling take center stage. Prepare for a gripping war story in which players fight against the Settlement Defense Front to defend our very way of life.

Outro destaque é "Super Dungeon Bros.", um jogo de pancadaria para até 4 jogadores com temática heavy metal. Ele será lançado para PS4, PCs e Xbox One – no último, o game chega de graça para assinantes do serviço Live Gold.

Fonte: Youtube G1

THIS FUCKING HATE (Project)





This Fucking Hate é um projeto de músicos de Santos SP que participaram ou fazem parte de bandas renomadas na cena da Baixada Santista.